Hidrelétrica Teles Pires: Energia Eficiente

Empreendimento

 

A Usina Hidrelétrica Teles Pires teve seu Estudo de Viabilidade registrado na Aneel em junho de 2009. Mas, os Estudos de Inventário da Bacia Hidrográfica do Rio Teles Pires aprovados pela Aneel, indicaram, em julho de 2006, um conjunto de seis usinas hidrelétricas, totalizando uma geração de cerca de 3.600 megawatts (MW) na bacia, da qual a Usina Hidrelétrica Teles Pires, com potência instalada de 1.820 megawatts (MW), é responsável por 50,55%.

O diferencial que permitiu a vitória no leilão da concessão da UEH Teles Pires, em dezembro de 2010, foi possivel graças ao desenvolvimento de um novo projeto de engenharia, com alguns beneficios, como, por exemplo, a instalação de apenas 5 (cinco) turbinas (364 MW cada uma), mantendo a mesma potência instalada de 1.820 MW, sendo que no projeto original que foi a leilão previa 6 turbinas. A proposta de uma menor quantidade de serviços com relação ao eixo original, diminuindo, por exemplo, o volume de escavação, possibilitou um novo cronograma de obras, exigindo apenas 38 meses para o início de geração. Outra iniciativa singular foi um novo histograma de distribuição de trabalhadores ao longo da implantação do projeto, melhor distribuição dos empregos diretos ao longo da obra, diminuindo a concentração no pico e a decisão de contratação de 45% dos trabalhadores na região, além de implantação do Programa de Qualificação Profissional Continuada – Acreditar. Manter todos trabalhadores alojados no canteiro de obras foi também uma iniciativa que reforçou o diferencial.

O empreendimento se localiza nas coordenadas LONG 56°46’35” W e LAT 09º20’35” S, situada no Rio Teles Pires, distante 330 km da junção com o Rio Juruena, ponto onde se forma o Rio Tapajós. O barramento está localizado na divisa dos estados de Mato Grosso e Pará, compreendendo os municípios de Paranaíta – MT e Jacareacanga – PA. O empreendimento está a 945 quilômetros de Cuiabá, por via terrestre, e 85 quilômetros de Paranaíta, a cidade mais próxima.

O barramento no leito do Rio Teles Pires será construído com blocos de rocha com núcleo argiloso e a maior parte em CCR – Concreto Compactado a Rolo. O topo da barragem alcançará 224 metros. O vertedouro possuirá 5 comportas e 10 adufas, que escoarão a água, garantindo que o excesso seja descarregado de forma segura rio abaixo.

O canteiro de obras será instalado nas proximidades do local do eixo, na margem esquerda, que deverá contar com diversas instalações, como: guarita, subestação, oficina, almoxarifado, depósito de combustível, carpintaria, pátio de armação, pátio eletromecânico, área de montagem mecânica, laboratórios, depósitos, escritórios, refeitório e ambulatório médico.

O acampamento será implantado na margem esquerda, a cerca de 8 quilômetros do canteiro industrial, e abrigará todos os equipamentos necessários para o uso dos trabalhadores. As construções preveem locais para as estações de tratamento da água e do esgoto, alojamentos, lavanderia, refeitórios, centros de lazer e ambulatórios médicos.

O reservatório (lago) ocupará áreas dos dois municípios próximos ao empreendimento. No Pará, 16% do município de Jacareacanga e em Mato Grosso, 84% do município de Paranaíta. O lago formado pela barragem terá cerca de 70 km de comprimento no Rio Teles Pires e ocupará uma área de 150 km², com um espelho d’água de 135,6 km² e uma área inundada de 95,0 km², o que equivale a 0,052 km² por megawatts gerado de área inundada.

A Casa de Força será construída na margem direita do Rio Teles Pires e será do tipo convencional, fechada, abrigando 5 unidades geradoras. Nessa estrutura, a energia das águas em movimento é transformada em energia elétrica. A Subestação, instalação elétrica de alta potência, contendo equipamentos para transmissão, distribuição, proteção e controle de energia elétrica, localizada na margem esquerda, ficará afastada cerca de 200 metros do canal de fuga da casa de força.

Toda energia gerada pela UHE Teles Pires seguirá por uma linha de transmissão de uso restrito, de 7,5 km, que se conectará na SE Coletora Norte. A conexão ao Sistema Interligado Nacional – SIN, será através de uma linha de transmissão de 500 KV, que terá seu ponto de conexão ao SIN na SE Ribeirãozinho no estado do Mato Grosso, divisa com o estado de Goiás.

Informações:

Potência Instalada: 1820 MW;
Garantia Física: 915,4 MW;
Turbinas: Francis de Eixo Vertical, 5 unid – 364 MW
Altura da Barragem: 80 metros
Extensão da Barragem: 1.650 metros
Queda Bruta: 59,00 metros;
Área do Reservatório: 150 km²
Espelho d’água: 135,6 km² (0,075 km²/MW);
Área de Inundação: 95,0 km² (0,052 km²/MW).