Hidrelétrica Teles Pires: Energia Eficiente

Usina Teles Pires

 

“Teles Pires significa uma energia de menor preço, R$ 58,35 MW/h e, ainda mais 1.820 MW agregado ao País” presidente Dilma Roussef, 07 de junho, na assinatura do contrato de concessão da UHE Teles Pires.

A Usina Hidrelétrica Teles Pires será construída no Rio Teles Pires, afluente do rio Tapajós, na fronteira dos estados do Pará e Mato Grosso, nos municípios de Jacareacanga (PA) e Paranaíta (MT). A UHE Teles Pires terá potência instalada de 1.820 megawatts, suficiente para abastecer uma população de 2,7 milhões de famílias.

A UHE Teles Pires é um projeto de engenharia que contribuirá para o desenvolvimento do Brasil, unindo o equilíbrio entre a necessidade de obtenção de energia e a importância de uma fonte limpa, renovável e ambientalmente correta.

Além disso, a UHE Teles Pires viabilizará o desenvolvimento de projetos ambientais que buscam a preservação da fauna, flora, água e solo local, para amenizar as modificações que ocorrerão em seu meio. Como condicionantes para instalação do empreendimento serão desenvolvidos também projetos socioeconômicos que buscam desenvolver vocações e novas alternativas produtivas, nos municípios próximos com intuito de alavancar o desenvolvimento sustentável.

A UHE Teles Pires foi arrematada no último leilão de geração de 2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pelo Consórcio Teles Pires Energia Eficiente. A emissão da Licença Prévia N° 386/2010, emitida pelo Ibama, permitiu que o projeto fosse incluído no Leilão A-5, levado adiante pelo Governo Federal, Ministério de Minas e Energia, por meio da Aneel, em 17 de dezembro de 2010. Depois do leilão, foi criada a Companhia Hidrelétrica Teles Pires S/A, Sociedade de Propósito Específico (SPE), responsável por construir e fazer operar a UHE Teles Pires, constituída pelas empresas Neoenergia (50,1%), Eletrobras-Eletrosul (24,5%), Eletrobras-Furnas (24,5%) e Odebrecht Energia (0,9%).

No evento de dezembro o Consórcio Teles Pires Energia Eficiente saiu vencedor do leilão de concessão para implementação da Usina Teles Pires, com uma proposta de deságio de 33% em relação à tarifa-teto, ou seja, apresentou um menor valor para produzir ou gerar o kW/h de energia elétrica, e, até a presente data, é o menor valor que o Governo Federal conseguiu nos leilões de usinas, gerando um benefício para o País e permitindo que a tarifa de energia seja mais baixa. Em junho de 2011, a presidente Dilma Roussef presidiu no Palácio do Planalto a cerimônia de assinatura do contrato de concessão da UHE Teles Pires e destacou Teles Pires como o menor preço do MW/h conseguido até agora no País.

Foi firmado um contrato em regime EPC (Engineering, Procurement and Construction), no qual o então criado Consórcio Construtor Teles Pires foi contratado para executar o projeto e as obras civis, fornecer e montar os equipamentos eletromecânicos do empreendimento. Este consórcio é composto pelas empresas: Odebrecht, Voith, Alston, PCE e Intertechne, responsáveis pelas obras civis, fornecimento e montagem eletromecânica e engenharia de projeto.

A UHE Teles Pires é um empreendimento de infraestrutura contemplado no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal.